domingo, 1 de março de 2009

augusto sete oito


2 comentários:

Fabrício Brandão disse...

Na banalização da vida, mata-se um poema em cada esquina!

Abração, querido amigo!

sandra camurça disse...

eita que eu nunca mais tinha aparecido por aqui, enfim cá estou...rsrs...gosto muito dos irmãos Campos, o Augusto e o Haroldo.
beijos.