sexta-feira, 16 de outubro de 2009

o crime


o crime dos homens contra as aguas

o crime dos homens contra as matas

o crime dos homens contra a terra

o crime dos homens contra os homens

o crime, fogo que não se apaga

não há lágrimas que o pague


7 comentários:

Barbara disse...

Os homens não gostam das águas, nem da terra nem do fogo como energia que pulsa em tudo, nem de nada porque se sente na verdade o dono - um estranho à natureza.
Um estranho a si mesmo.
Todo mundo tristinho e a causa é por demais profunda e antiga , é a separação a verdadeira diáspora.
Obrigada.

O Outro Olhar. disse...

Oi, gostei do blog.
O meu fala de Cultura e Arte no Recôncavo, mas precisamente em Cachoeira e São Félix.
Espero a sua visita...
Ah! e fica amigo ta?
Abraços.

Lorena disse...

As lágrimas não apagam o fogo e nem pagam o crime

Maria Muadiê disse...

não há.
sinto esperança de ter esperança

Cristiano Contreiras disse...

Eis o fogo, feito coração, a pulsar tudo na terra do mundo.

Caro, Orlando.
Muito bom o contexto do seu blog, já sou seguidor, abs

➔ Sill Scaroni disse...

Enquanto o homem subjugar outro homem não poderemos construir um outro mundo possível.

Gostei muito do teu blog, parabéns.

Sill

Denisson Palumbo disse...

Esse 'crime' é muito bom...